O ano de 2009

 

DEZEMBRO:

  1. O Consulado Geral da República da Polônia organizou o 3º Festival Infanto-Juvenil de Folclore Polonês, com a participação de grupos folclóricos dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Local: Teatro do Colégio Bom Jesus (centro / Curitiba).
  2.  Informamos que saiu da gráfica o boletim da Missão Católica Polonesa no Brasil “Eco”. Este boletim publicamos exclusivamente em polonês. Se Você Caro Visitante conhece um pouco da nossa língua polonesa, então clique aqui e conheça o nosso periódico católico polônico! Outrossim informamos que atualmente ele é único periódico da comunidade polonesa no Brasil publicado em polonês!
  3.  Os Prezados Leitores podem conhecer o conteúdo do número 20 da nossa revista polônica “Projeções!. Aproveitando a oportunidade queremos informar que depois de 11 anos da edição desta revista iremos encerrar a sua publicação aqui no Brasil. No ínicio do ano de 2010 iniciaremos a publicação da revista de reflexão Brasil – Polônia “Polonicus”. Um grupo de polônicos optou por esta continuação. Mudaremos o nome da revista, mas seu perfil seja o mesmo. Você quer conhecer o texto do editorial e sumário do número 20 da revista? Clique, então, aqui!

NOVEMBRO:

  1. Em Varsóvia faleceu o Prof. Dr. Andrzej DEMBICZ, fundador e diretor do Centro de Estudos Latinoamericanos (CESLA) da Universidade de Varsóvia. A comunidade polônica no Brasil perdeu nele um incentivador de pesquisas científicas do nosso grupo etnico. Que o DEUS da VIDA acolhe sua alma na CASA do PAI!
  2. Em Áurea-RS realizou-se o concurso para eleger a Krakowianka e suas Królewnas, Rainha e Princesas por ocasião dos 134 anos de Imigração Polonesa no Rio Grande do Sul. O evento contou com o apoio da Prefeitura Municipal e do grupo de folclóre polonês “Aureosovia”. Quer saber mais sobre este evento cultural? Clique aqui!

27-28.  Em Curitiba aconteceu a segunda edição da Vitrine literária polônica do Brasil. Veja as fotos deste importante acontecimento polônico! Clique aqui!

  1. Informamos a comunidade polônica em Curitiba: O Colégio Estadual do Paraná abriu um concurso para estudar a língua polonesa (primeiro grau). Mais informações: clique aqui!

9 – 12. No Vaticano realizou-se VI Congresso Mundial da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes. Cerca de 300 pessoas participaram do congresso sobre o tema “Uma resposta pastoral ao fenômeno migratório na era da globalização. A cinco anos da Instrução Erga migrantes caritas Christi”.

  1. No Rio de Janeiro foi celebrada solenemente a festa da Independência da República da Polônia. Após a S. Missa celebrada pelo pe. Jan Sobieraj SChr na igreja dos poloneses, realizou-se segunda parte perante o monumento dedicado aos soldados brasileiros que tombaram durante a II Guerra Mundial. Veja algumas fotos desta solenidade! Clique aqui!
  2.  Em Nova Erechim realiza-se 13o típico jantar polonês. Organização deste evento foi realizada pela “Braspol” local. Veja convite! Clique aqui!
  3. Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba organizou, por ocasião dos 70 anos do início da II Guerra Mundial, a abertura da exposição: “Em defesa dos valores comuns”. Local: Biblioteca Pública do Paraná em Curitiba (Rua Candido Loes, 133 – Centro).
  4. O papa Bento XVI aceitou a renúncia do bispo de Porto Nacional (TO), dom Geraldo Vieira Gusmão, que completou 75 anos no mês passado. Com a renúncia, o governo pastoral da diocese será assumido pelo bispo coadjutor da mesma diocese, dom Romualdo Matias KUJAWSKI. Natural de Poznan, na Polônia, dom Romualdo tem 62 anos e foi ordenado bispo em 15 de agosto de 2008, em Palmas (TO). Tomou posse como bispo coadjutor de Porto Nacional no dia 30 de agosto do ano passado. Com doutorado em teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, dom Romualdo fez seus estudos de filosofia e teologia em sua cidade natal, onde também recebeu a ordenação presbiteral em 24 de maio de 1973. Antes de ser ordenado bispo, dom Romualdo foi vigário paroquial em Biezdrowo, Poznan; em Zniemysl, Poznan; em Ostrów Wlkp e professor no curso de teologia para leigos, Poznan. Foi também administrador paroquial de Kamionna, Poznan. No Brasil, foi professor de Teologia de Espiritualidade em Diamantina (MG) de 1988 a 1990; reitor do Seminário, em Diamantina, e do Seminário Interdiocesano do Divino Espírito Santo e vigário para a administração em Palmas de 1999 a 2008.
  • 24 de outubro:

Dom Moacyr José Vitti, Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Curitiba, presidiu a celebração de Santa Missa em ação de graças pela canonização de São Zygmunt Szczesny Felinski – fundador da Congregação das Irmãs Franciscanas da Sagrada Família de Maria. A cerimônia realizou-se na Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões, na Praça Rui Barbosa, em Curitiba.

A canonização aconteceu no último dia 11 de outubro, pelo Papa Bento XVI, em Roma. São Zygmunt nasceu no dia 1 de novembro de 1822, em Wojutyn-Polônia. Em 1855 foi ordenado sacerdote e em 1862 nomeado arcebispo metropolitano de Vársovia. Faleceu em Cracóvia, no dia 17 de Setembro de 1895 e no dia no dia 18 de Agosto de 2002 foi beatificado pelo Papa João Paulo II.

A Congregação das Irmas da Sagrada Família tem sua sede Geral em Varsóvia e atua na Polônia, Brasil, Rússia, Itália, Bielorússia, Ucrânia e Cazaquistão. Ao todo são 1100 Irmãs que desenvolvem sua missão nas escolas, assistência social, hospitais, asilos de idosos, pastorais paroquiais e seminários. No Brasil a primeira comunidade iniciou seus trabalhos em 1906 no bairro Órleans, em Curitiba-PR. Atualmente a Congregação está organizada em duas Províncias: Província Menino Jesus, com sede em Curitiba – abrange os Estados do Paraná, Minas Gerais, Paraíba, Pernanbuco Tocantins, Goiás e Distrito Federal, com 250 Irmãs; Província de São Francisco com sede em Erechim-RS – abrange os Estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com 85 Irmãs.

  • 19 de outubro:

O Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba organizou um recital de música erudita, com o excelente organista polonês, WITOLD ZALEWSKI, no dia 19 de outubro, na Igreja Bom Jesus, Praça Ruy Barbosa – Curitiba. ENTRADA FRANCA. O organista deu também o concerto em Porto Alegre (18 de outubro) e Rio de Janeiro (21 de outubro).

  • 16 de outubro:

Na cidade de Orleans (Estado de Santa Catarina) realizou-se o lançamento do livro “Da Polska à terra prometida: o legado polonês em Santa Catarina e um tributo à comunidade do Chapadão/Orleans”. Autores: Grażyna Jadwiszczak, Nazareno Dalsasso Angulski, Mauricio da Silva Selau, Marlene Zwierewicz. Local: Orleans Tênis Clube – Orleans-SC. Evento: Noite Cultural do IV Congresso Internacional da Educação Unibave.

  • 15 de outubro:

Pe. Zdzislaw Malczewski SChr – redator da revista „Projeções” fez uma visita de cortesia no Consulado Geral da Polônia em Curitiba. Durante o coloquio com a Cônsul Geral – Senhora Dorota J. Barys foram abordados os assuntos ligadoa à nossa comunidade polônica no Brasil. A maior parte do encontro foi dedicado aos atuais periódicos polônicos.

  • 3 de outubro – “Braspol” de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, comemorou 15 anos da atuação naquela cidade e região. Por ocasião deste evento foi organizado um jantar festivo como também apresentaram-se alguns conjuntos folclóricos. Veja belíssimo cartaz!
  • 19 de setembro – A Associação Polonesa Educativo-Cultural em São Paulo (APOLEC-SP) organizou a 3ª festa polônica na cidade de São Paulo.
  • 17 de setembro – Na sua edição dessa data (17.09.2009), o Diário Oficial da União anunciou publicamente a nomeação do prof. Henryk Siewierski como professor titular da Universidade de Brasília (UnB) no Departamento de Teoria da Literatura e Literatura. Anteriormente o prof. Siewierski prestou um exame diante de uma comissão julgadora, pleiteando esse título acadêmico maior nas universidades brasileiras.
  • 16 de setembro – Por ocasião do 70º aniversário da eclosão da Segunda Guerra Mundial, na Galeria dos Arcos, em Porto Alegre, a cônsul-geral Sra.Dorota Barys, do Consulado-Geral da Polônia em Curitiba, e a Associação dos Combatentes Poloneses – Seção do Rio Grande do Sul promoveram a abertura da exposição “Em defesa de valores comuns”.
  • 16-20 de setembro – O reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil – pe. Zdzislaw Malczewski SChr esteve em Brasília, onde participou do III Encontro Nacional de Pastorais da Migração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Durante esse importante encontro de pessoas responsáveis pelas diversas pastorais que prestam assistência às pessoas a caminho, o reitor apresentou um esboço da história da imigração polonesa no Brasil e da pastoral polonesa. Participou do encontro também um outro missionário polonês – o pe. Mariano Litewka CM, que há 33 anos organizou no Brasil a chamada pastoral rodoviária, envolvendo de assistência espiritual os caminhoneiros e os funcionários dos postos de combustíveis.
  • 8 de setembro – Dentro do 7º Festival “Bom Dia, Brasil”, promovido anualmente em Varsóvia no início de setembro, realizou-se a exposição “Os poloneses no Brasil”. O festival foi organizado pela Fundação de Cultura Brasileira Macunaíma. A inauguração ocorreu durante o “Painel Educacional” no Collegium Civitas, uma das melhores universidades particulares polonesas, com o patrocínio da Academia Polonesa de Ciências. Essa instituição de ensino superior localiza-se no Palácio da Cultura e da Ciência, em Varsóvia. O presidente da Sociedade Polono-Brasileira – Stanislaw Pawliszewski falou do conteúdo da exposição, dizendo que se trata de uma versão polonesa da exposição organizada em língua portuguesa por um grupo de poloneses e brasileiros de origem polonesa de Brasília. O autor do cenário da exposição é o prof. Henryk Siewierski, do Departamento de Literatura da Universidade de Brasília. O presidente falou também da história da Sociedade Polono-Brasileira e do 80º aniversário da sua fundação, a ser comemorado em novembro deste ano. Por sua vez o prof. dr. Jerzy Mazurek, vice-diretor do Museu da História do Movimento Popular Polonês, falou de dois importantes aniversários na história da imigração polonesa no Brasil: dos 140 anos da vinda do primeiro grupo de imigrantes a Brusque, no estado de Santa Catarina, e dos 80 anos da imigração organizada ao estado do Espírito Santo. No Painel Educacional – sobre o Brasil, seu desenvolvimento social e econômico e o seu papel no mundo, falou Lech Miodek, professor no Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Varsóvia. Sobre a obra de Paulo Coelho e a literatura brasileira falou o dr. Jarek Jezdzikowski, que concluiu o seu doutorado na Universidade Federal de Salvador. A respeito do esporte brasileiro falou um jornalista polonês. Entre os numerosos convidados do encontro destacavam-se os jovens e os estudantes das universidades de Varsóvia. Informações sobre a exposição podem ser encontradas na página da internet do Festival: http://www.brasil.com.pl/panel-dyskusyjny.html.

Durante o verão polonês, dentro da programação de novos Festivais de Filmes Latino-Americanos em Varsóvia e em outras cidades, bem como do Festival Cinematrográfico e Artístico “Duas Margens” em Kazimierz Dolny, foram apresentados diversos filmes brasileiros.

  • 4 de setembro – A Rádio Catedral, do Rio de Janeiro, em seu programa “Vox Populi”, dirigido pelo prof. Sérgio Pereira da Silva – pró-reitor da Universidade Candido Mendes, dedicou bastante espaço à Polônia, e de maneira especial aos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. Participaram do programa os representantes da comunidade polônica Tomás Barcinski (tradutor de diversas obras da literatura polonesa para o português) e a professora drª Aleksandra Sliwowska Bartch, que declamou a Canção de Natal Varsoviana de 1939, por ela traduzida para a língua portuguesa. Participou do mencionado programa também o prof. Mário Scalércio, do departamento de contatos internacionais.
  • 26 de agosto – Na sede da Associação Comercial do Paraná , em Curitiba, realizou-se a solene inauguração do escritório da Wielkopolska/Polônia no estado do Paraná. Participaram desse encontro o vice-ministro polonês Adam Szejnfeld, o presidente da voivodia da Wielkopolska Marek Wozniak e seus acompanhantes da Polônia. Da parte brasileira participaram: o vice-governador do estado – Orlando Pessutti, a presidente da Associação Comercial do Paraná – Avani Slomp Rodrigues, o coordenador do Conselho do Comério Exterior –  Silval Lobato Machado. Participaram também da solenidade pessoas interessadas em contatos comerciais com a Polônia e representantes da comunidade polônica local.
  • 24 de agosto – O arcebispo Dom Sigismundo Zimowski envia do Vaticano uma mensagem à comunidade polônica. Essa mensagem pode ser encontrada em outra seção do presente número da revista.
  • 15 de agosto – A convite das autoridades municipais, o  Coral Polonês de São Paulo apresentou-se num dos parques dessa cidade (Parque da Luz) apresentando a beleza da canção popular polonesa.
  • 15 de agosto – Anunciamos aos Caros Leitores que já temos mais um número da nossa revista de estudos polono-brasileiros. Você quer conhecer o conteúdo deste número, então clique aqui!
  • 14 de agosto – Começou a ser exibido nos cinemas brasileiros um filme sobre a temática da imigração polonesa, Tempos de paz, dirigido por Daniel Filho (o mesmo diretor do filme Se eu fosse você 2). O filme se baseia na obra de Bosco Brasil Novas diretrizes em tempos de paz. Nesse filme de longa metragem aparecem nos papéis principais os conhecidos atores Dan Stulbach e Tony Ramos. A ação do filme desenrola-se no final da Segunda Guerra Mundial. No Brasil Getúlio Vargas proclama a anistia aos prisioneiros políticos e recebe milhares de imigrantes europeus. Nesse contexto ocorre a tensão entre o chefe do escritório de imigração no Rio de Janeiro e um imigrante polonês. Maiores detalhes… a serem vistos no cinema.
  • 2 de agosto – No Teatro Ítalo-Brasileiro, em Santo Amaro, estado de São Paulo, realizou-se o II Encontro da Cultura das Comunidades Eslavas. Nesse importante evento étnico foram representados os seguintes países: Bulgária, Croácia, Eslovênia, Polônia, Rússia e Ucrânia. A programação constou da apresentação de danças folclóricas e de corais, exposição de livros e de artesanato.
  • 14 de julho – Na Casa da Cultura da histórica cidade de São José, situada nas proximidades de Florianópolis, no estado de Santa Catarina, realizou-se a abertura da exposição fotográfica de autoria de Joi Cletison “A Polônia. Um olhar para a Polônia”. A exposição permaneceu aberta ao público de 15 de julho a 14 de agosto. Veja convite.
  • 12 de julho – Na paróquia de S. Judas Tadeu, em Brasíla, realizou-se a solenidade dos 50 anos de sacerdócio do benemérito missionário polonês monsenhor Ceslau Rostkowski. Participaram da solenidade os seguintes hierarcas da Igreja: o arcebispo Dom João Braz de Aviz – metropolita da arquidiocese da capital, o bispo Dom Eduardo Zielski – ordinário de diocese de Campo Maior, no estado do Piauí, o bispo auxiliar emérito da arquidiocese de Brasília – Dom João Evangelista Martins Terra, o ordinário emérito da arquidiocese – cardeal  José Freire Falcão, além de diversos padres poloneses. Participaram da solenidade jubilar representantes da Embaixada da Polônia: o embaixador Jacek Junosza Kisielewski com sua esposa e o conselheiro Jan Przegalinski e esposa. Você quer ver algumas fotos? Então, clique aqui!
  • 5 de julho – No Parque João Paulo II, em Curitiba, realiza-se a solenidade relacionada com o 29º aniversário da visita apostólica do Santo Padre João Paulo II a Curitiba e do histórico encontro do Papa com a comunidade polônica brasileira no Estádio Couto Pereira. Nesse domingo apresentou-se o conjunto polônico de folclore Wesoly Dom, de Araucária, bem como o Coral S. Ana, do bairro de Abranches. Durante a solenidade foram entregues para o uso da comunidade duas casas de troncos de madeira que haviam sido restauradas pela prefeitura municipal. A bênção da casa-capela foi realizada pelo arcebispo emérito Dom Pedro Fedalto, que foi o anfitrião na oportunidade da visita pontifícia a Curitiba. Há 29 anos, nessa casa foi saudado com pão e sal, segundo a tradição polonesa, o Santo Padre João Paulo II. Atualmente, no Parque João Paulo II essa casa é utilizada como capela, e nela se encontra uma imagem de Nossa Senhora de Monte Claro. Diante do público apresentaram-se também os conjuntos musicais polônicos Herdeiros da Polônia, Os Garis e Coração Nativo.
  • 1-12 de julho – em Curitiba, no Teatro Guaíra, realiza-se a 48ª edição do festival folclórico das etnias do Estado do Paraná. A coletividade polônica foi representada pelos seguintes conjuntos folclóricos: Junak e Wisla de Curitiba, Karolinka de São Mateus do Sul e Wawel de São José dos Pinhais.
  • 26 de junho – A Câmara Municipal de Curitiba realizou uma sessão solene para a comemoração dos 140 anos da imigração polonesa no Brasil. Esse importante evento foi promovido por iniciativa de Tito Zeglin, um vereador de descendência polonesa que é o vice-presidente da Câmara. Após terem participado dessa sessão, os convidados foram apresentados à comunidade polônica. Organizações polônicas, congregações religiosas vindas da Polônia (Congregação da Sociedade de Crito, Padres Marianos, Vicentinos e Verbistas, Irmãs da Sagrada Família, Irmãs da Caridade de S. Vicente de Paulo e Irmãs Ursulinas) e a Missão Católica Polonesa receberam diplomas comemorativos. Após a parte oficial seguiu-se um coquetel.
  • 4 de junho – Na embaixada da Polônia em Brasilía realizou-se uma recepção especial para personalidade selecionadas em razão do vigésimo aniversário das mudanças  políticas ocorridas na Polônia e em outros países da Europa Centro-Oriental em 1989.
  • 4 de junho – O padre Zdzislaw Malczewski SChr recebeu uma carta (do dia 26 de maio de 2009) do presidente da Conferência do Episcopado da Polônia, arcebispo Dom José Michalik, informando que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) havia confirmado os seu nome para cargo de coordenador da Missão Católica Polonesa no Brasil. De acordo com a Instrução atualmente em vigor Erga migrantes caritas Christi, publicada há cinco anos (no dia 3 de maio de 2004) pelo Conselho Pontifício para a  Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, o sacerdote responsável em determinado país pelo ministério sacerdotal em prol dos seus compatriotas é chamado coordenador. Mas na longa tradição da Missão Católica Polonesa no mundo o responsável por esta Missão é chamado popularmente de Reitor.
  • 2 de junho – No Palácio Blank, em Varsóvia, realizou-se o lançamento do livro de memórias de de Estanislau Warchalowski E voou para o mundo distante… Recordações do Brasil, da Polônia e do Peru. O livro foi publicado pelo Museu de História do Movimento Popular Polonês em Varsóvia e pelo Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia.
  • 18 de maio – A Santa Sé divulgou a nomeação, por parte do Papa, de Dom Antonio Maria Vegliò, arcebispo titular de Eclano e até agora Secretário da Congregação para as Igrejas Orientais, como novo presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes. Durante anos, serviu os papas como diplomata majoritariamente na África (Senegal, Guiné Bissau, Mali e Cabo Verde) e Oriente Médio (foi núncio no Líbano e Kuwait).
  • 17 de maio – A comunidade polônica de Curitiba comemora o centenário da igreja de Santo Estanislau, na Rua Emiliano Perneta, 463. Em maio de 1909 a igreja ainda não estava pronta, mas a sua construção estava tão adiantada que o Bispo Dom José Braga pôde benzê-la e entregá-la para o uso dos imigrantes poloneses. Na realidade a igreja estava em fase de acabamento, e para terminá-la trabalhou-se durante dezenas de anos. Por decreto de Dom Pedro Fedalto, do dia 8 de maio de 1978, a igreja foi erigida em Paróquia Pessoal dos Poloneses. No dia 15 de agosto de 1993, o Arcebispo Dom Pedro Fedalto assinou o decreto da criação da Paróquia Territorial de Santo Estanislau, e no dia 22 de agosto de 1993 ela foi oficialmente instalada. Desde então a paróquia, além de atender os poloneses, é também a paróquia de todos os que moram no território  estabelecido e desmembrado das Paróquias Bom Jesus e São Francisco de Paula. Desde o início até hoje, a igreja de santo Estanislau é servida pelos padres da Congregação do Verbo Divino.
  • 9 de maio – No Museu do Expedicionário, em Curitiba, realizou-se o lançamento do livro Acima dos pinheirais, de autoria do Major Marcelino Ostrowski. Originalmente escrito em polonês e publicado no Canadá com o título Wyżej niż piniory, o livro ganha agora uma versão em português, que servirá para familiarizar um círculo mais amplo de leitores com a bela história de vida do Major Ostrowski. Descendente de uma família de imigrantes políticos poloneses, ele nasceu em Rio Azul, no Paraná, em 1920. Durante a II Guerra Mundial viajou como voluntário para na Grã-Bretanha juntar-se à Força Aérea Polonesa, que em operações conjuntas com a RAF britânica contribuiu muito para a vitória sobre o nazismo. Após a guerra o Major Ostrowski voltou ao Brasil, para alguns anos depois fixar residência no Canadá, onde vive até hoje. O lançamento da obra Acima dos pinheirais foi prestigiado com a presença de um grande número de pessoas – entre as quais se destacavam os numerosos membros da família Ostrowski – e contou com o apoio de prestigiosas autoridades, como o Embaixador da Polônia no Brasil, Sr. Jacek Junosza Kisielewski, e a Cônsul Geral da Polônia em Curitiba, Sra. Dorota Joanna Barys.
  • 3 de maio – Os parlamentos dos estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Parana, Espirito Santo instituiram dia 3 de maio como “Dia da Imigracão Polonesa”. Em diversas cidades, cidadezinhas, colônias destes estados da Federacão Brasileira, onde vivem os imigrantes e descendentes dos poloneses realizaram-se comemoracões deste dia para lembrar e perpetuar a contribuicão da imigracão polonesa ao desenvolvimento da Patria Brasileira. Em diversos lugares estas comemoracões iniciaram com a celebracão da Santa Missa, apresentacão dos grupos de folclore polonês.
  • 1-3 de maio – Em Águia Branca, no estado do Espírito Santo, a comunidade polônica comemorou 80 anos da colonização polonesa naquela região. Na rica programação desta comemoração constava a realização do Simpósio Brasil – Polônia. Neste evento apresentaram seus trabalhos alguns estudiosos e pesquisadores sobre a imigração polonesa no Brasil.  Você quer saber como começou a vida de nossos imigrantes em Águia Branca? Clique, então, aqui!

Leia tambem a reportagem sobre estas comemoracões de 80 anos da imigracão polonesa em Aguia Branca. Clique aqui!

  • 6 de abril – Com a idade de 84 anos, faleceu o prof. dr. Andrzej Stelmachowski – cofundador e por muitos anos presidente da Associação Wspólnota Polska. O falecido professor foi jurista, conselheiro do comitê de greve do Estaleiro de Gdańsk, coautor do estatuto do “Solidariedade”, participante da “Mesa-Redonda”, primeiro presidente do Senado da III República, ministro de educação nacional e ultimamente conselheiro do presidente para assuntos polônicos. A coletividade polônica do Brasil perdeu alguém que sinceramente a amou, apreciou, valorizou e apoiou. O falecido prof. Stelmachowski era para nós, na distante Polônia, um grande ponto de apoio! A Revista de Estudos Polono-Brasileiros Projeções perdeu, na pessoa do falecido Professor, um grande Amigo! Senhor Professor, sentiremos a grande falta da Sua Pessoa no nosso mundo  polônico!
  • 29 de março – Em Porto Alegre faleceu a professora doutora Sandra Yatahy Pesavento. A falecida era professora na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), coordenadora nacional de história da cultura (GT Nacional de História Cultural), considerada uma grande historiadora e pesquisadora da história do Brasil. A nossa revista teve o privilégio de publicar um texto da professora Sandra Y. Pesavento em 2001 (cf. Projeções, Ano III – 1/2001, p. 8-19).
  • 25 de março – A Cônsul Geral sra. Joanna Barys organizou um encontro do novo presidente da Associação Wspólnota Polska, sr. Maciej Płażyński, com representantes da coletividade polônica. Participaram polônicos do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná,  que se encontraram com o senhor presidente na sede do Consulado Geral em Curitiba. Na abertura do encontro, a senhora Cônsul Joanna Barys agradeceu aos presentes pelo comparecimento e apresentou o senhor presidente Maciej Płażyński. A seguir o presidente da Associação delineou diante dos presentes as principais tarefas que se apresentam à orgnização, que em nome do Senado da Polônia apoia a diversificada atividade dos polônicos no mundo. Com certeza o encontro pessoal, o breve diálogo com o senhor presidente e a fotografia comum gravaram-se profundamente nos corações dos representantes da comunidade polônica brasileira. Para muitos polônicos, a presença no Consulado foi mais uma ocasião de encontro, de troca de ideias, de renovação de amizades. O Consulado Geral da Polônia em Curitiba tem-se transformado num lugar privilegiado para o aprofundamento dos vínculos dos polônicos locais com o seu país de origem, bem como para o fortalecimento dos laços dentro da comunidade polônica. Durante a sua estada no Brasil, o senhor presidente Maciej Płażyński visitou alguns núcleos polônicos, entre os quais São Bento do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.
  • 23-24 de março – O Liceu de Educação Geral Rui Barsbosa, em Varsóvia, organizou o IX concurso de conhecimentos sobre o Brasil. No primeiro dia participaram do concurso alunos dessa escola, e no dia seguinte – alunos de quatro Liceus de Educação Geral de fora de Varsóvia, inclusive de Cracóvia e de Chełmno. Na apresentação oral houve temas muito interessantes: Arquitetura brasileira, a Amazônia e a culinária brasileira. No intervalo entre o teste escrito e a apresentação oral, apresentou uma pelestra sobre a Amazônia o prof. dr. Jerzy Makowski, da Faculdade de Geografia da Universidade de Varsóvia. Os prêmios foram oferecidos pela embaixada do Brasil e entregues pelo embaixador do Brasil Carlos Alberto Simas Magalhães, pelo diretor Wiesław Włodarski, pela organizadora do concurso Anita Witek, professora de matemática, e por Grażyna Misiorowska, professora de língua portuguesa. Também estiveram presentes representantes das autoridades locais, inclusive o porta-voz da Curadoria de Cultura da Mazóvia. Por ocasião da entrega dos prêmios, o embaixador do Brasil expressou o seu reconhecimento aos alunos que participaram do concurso de conhecimentos sobre o Brasil e agradeceu à direção da escola por essa promoção de conhecimentos sobre o Brasil. Após o término do concurso, todos os presentes foram convidados para uma feijoada brasileira, preparada com a colaboração de Ewa Kluza, esposa do ex-cônsul geral da Polônia no Rio de Janeiro – Waldemar Kluza.
  • 21 de março – Na nossa biblioteca virtual adicionamos para os nossos caros leitores dois livros que ultimamente foram publicados na série “Biblioteca Ibérica”, resultado da cooperação entre o Museu de História do Movimento Popular Polonês em Varsóvia e o Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia. Os livros são apresentados em duas versões linguísticas: polonesa e portuguesa. Trata-se das obras: 1/ Ślady polskie w Brazylii / Marcas da presença polonesa no Brasil; 2/ Polacy pod Krzyżem Południa / Osa poloneses sob o Cruzeiro do Sul.
  • 20 de março – Alegra-nos o fato de que nos  últimos anos cresce no Brasil o número de descendentes dos imigrantes poloneses que nas universidades locais escolhem como tema dos seus trabalhos científicos assuntos relacionados com o país de origem dos seus antepassados ou com a vida dos nossos imigrantes. Um desses polônicos é Paulo Roberto Romanowski. Na Universidade Federal do Paraná (UFPR) realizou-se a defesa pública da sua tese de mestrado A construção do poder monárquico e da figura dos reis polanos na Gesta Principium Polonorum de Galo Anônimo (1112-1116). A sala universitária onde se realizou a dissertação esteve repleta de estudantes interessados pela problemática medieval. Entre os participantes desse evento não faltaram representates da nossa revista, nas pessoas do prof. Mariano Kawka e do pe. Zdzislaw Malczewski.
  • 19 de março – Em Curitiba, no Graciosa Country Club, realizou-se a solenidade da apresentação da nova diretoria do Instituto dos Advogados do Paraná. Esse Instituto foi fundado no dia 10 de junho de 1917. Foi eleito presidente dessa prestigiosa instituição, para o período 2009-2011, o conhecido e influente advogado de origem polonesa – José Lúcio Glomb. Após a cerimônia da apresentação da nova diretoria, foi oferecido um jantar para os convidados.
  • 18 de março – Com grande satisfação e alegria queremos informar os nossos prezados leitores a respeito da publicação, em Varsóvia, de mais um livro dedicado à colônia polonesa brasileira. Aos interessados por essa obra – que é publicada no 140º aniversário da imigração polonesa ao Brasil – recomendamos o texto da resenha de autoria do prof. dr. Tadeusz Paleczny, da Universidade Jaguillônica, que poderá ser encontrado em outra seção do presente número da revista. Eis a obra anunciada: Jerzy Mazurek; Márcio de Oliveira; Tadeu Vilani; Thaís Janaína Wenczerowicz. Polacy pod Krzyżem Południa. Os poloneses sob o Cruzeiro do Sul. Série “Biblioteca Ibérica”, Varsóvia: Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia e Museu de História do Movimento Popular Polonês, 2009.
  • 16 de março – “Os poloneses no Brasil” é o título da exposição apresentada no âmbito das comemorações do 80º aniversário da fundação da Sociedade Polono-Brasileira e dos 140 anos da vinda do primeiro grupo de colonos poloneses ao Brasil. A exposição encontra-se na galeria do Museu da Universidade de Varsóvia (Pałac Kazimierzowski, Krakowskie Przedmieście 26/28). Os organizadores da exposição são: o Centro de Estudos Latino-Americanos, a Embaixada do Brasil em Varsóvia, o Museu de História do Movimento Popular Polonês, a Sociedade Polono-Brasileira e o Museu da Universidade de Varsóvia. A exposição compõe-se de 40 pranchas. No seu todo a exposição “Os poloneses no Brasil’ foi preparada pela Embaixada da República da Polônia em Brasília segundo o cenário do prof. dr. Henryk Siewierski, bem como de diversas pranchas dedicadas à colônia polonesa do Brasil da exposição “Brasil e Polônia – longe mas perto”, além de pranchas turísticas (paisagem e personalidades do Brasil). Além disso, em dois mostruários são apresentadas obras publicadas sobre a colônia polonesa do Brasil e que surgiram tanto na Polônia como no Brasil (por exemplo as publicações de Tomasz Lychowski, Simão Kossobudzki, Ruy C. Wachowicz, Zdzislaw Malczewski). Participaram da abertura da exposição o embaixador do Brasil na Polônia – Carlos Alberto Simas Magalhães juntamente com funcionários da embaixada, os embaixadores da Argentina, do Chile e do Uruguai. A chancelaria do Senado da Polônia foi representada pela sra. Anna Szklennik, substituta do escritório de asssuntos internacionais e da União Europeia; o Centro de Estudos Latino-Americanos (CESLA) foi representado pelo seu diretor, o prof. dr. Andrzej Dembicz e pelo dr. Mariusz Malinowski. Esteve também presente o eminente historiador prof. dr. Marcin Kula. Participou da abertura da exposição a representante da direção do Liceu de Educação Geral Rui Barbosa – Bożena Arażny. Além disso, participaram da solenidade convidados da Sociedade, do Museu de História do Movimento Popular Polonês e estudantes. Após a saudação dos convidados pelo diretor do Museu da Universidade de Varsóvia – dr. Tomasz Strączek, tomou a palavra o embaixador do Brasil, que falou do número do grupo étnico polonês no Brasil, o segundo após os Estados Unidos. A seguir o dr. Jerzy Mazurek lembrou duas importantes datas na história da imigração polonesa no Brasil: os 140 anos da vinda de um grupo organizado de colonos poloneses ao Estado de Santa Catarina e os 80 anos da vinda dos imigrantes poloneses ao Estado do Espírito Santo.  A solenidade foi encerrada com um coquetel e a visitação comum da exposição. Informações sobre a exposição, ilustradas por fotorgrafias, foram apresentadas na página da internet da Universidade de Varsóvia bem como no jornal universitário Uniwersytet.
  • 3 de março – No Consulado Geral da Polônia em Curitiba realiza-se o encontro do embaixador da Polônia, Sua Excelência Jacek Junosza Kisielewski, com representantes da comunidade  polônica local.
  • 2 de março – Na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, inauguraram-se ofialmente as aulas no curso de língua e literatura polonesa, o primeiro curso desse gênero na América Latina. A inauguração oficial coincidiu com a visita do embaixador da Polônia ao estado do Paraná. Na ocasião, o embaixador entregou à universidade uma coleção de livros da literatura polonesa traduzidos para o português.
  • 1-4 de março – Realiza uma visita oficial ao estado do Paraná Sua Excelência o Embaixador da República da Polônia, Jacek Junosza Kisielewski. Nessa ocasião o diplomata polonês encontrou-se com diversas autoridades paranaenses, com destaque à visita de cortesia ao governador do estado – Roberto Requião.
  • Fevereiro a julho – Mostra de filmes poloneses no Brasil por ocasião do Centenário do Cinema Polonês. Pouco conhecida no Brasil, a escola de cinema polonesa, com sua sede inconfundível na cidade de Lódź, virou um aporte muito importante para a cinematografia europeia. Todos conhecem os nomes dos cineastas poloneses mais famosos: Roman Polanski, Andrzej Wajda, Krzysztof Kieslowski, mas o cinema polonês é muito mais que isso. Levamos muito tempo em discussões para escolhermos os filmes que poderiam mostrar um fragmento mais representativo da escola polonesa de cinematografia. A lista crescia porque cada um de nós, dentre os organizadores, reunia os filmes que “deveriam ser exibidos”. Finalmente ficaram somente 14 filmes, que de um lado já são muitos se falamos de uma mostra, mas ao mesmo tempo são muito poucos quanto ao que queríamos mostrar ao público brasileiro – informam os organizadores deste evento. Não serão apresentados os filmes mais famosos como: A Trilogia – Branco, Azul e Vermelho de Kieslowski; O Pianista de Polanski ou Katyn de Wajda, porque essas produções já são conhecidas no Brasil. Os filmes selecionados representam as mais importantes tendências da cinematografia polonesa no decorrer dos últimos cem anos, mas sem dúvida são somente um prelúdio para uma pesquisa mais profunda. Esperamos que esta Mostra do Filme Polonês no Brasil, que é a continuação dos eventos organizados no ano passado nas comemorações do Centenário da Cinematografia Polonesa, seja uma de muitas e que incentivará o público brasileiro para aprofundar o seu interesse no cinema polonês. Todos os filmes estão legendados em português. Local: Cinemateca de Curitiba. Entrada franca. No Brasil a mostra de filmes poloneses deve ser realizada de fevereiro a julho deste ano nas seguintes cidades: Porto Alegre-RS, Rio de Janeiro-RJ, Florianópolis-SC, Belo Horizonte-MG, Erechim-RS, São Paulo-SP, Curitiba-PR, Salvador-BA, Goiânia-GO, Belém-PA, Brasília-DF.
  • 30 de janeiro – Nesta data inciou-se a tradicional festa do vinho em Bento Gonçalves, no estado do Rio Grande do Sul. Graças aos empenhos da filial da Braspol dessa cidade, participaram da festa representantes da comunidade polônica local, que apresentaram aos visitantes aa riqueza da cultura e tradição polonesa. Além disso, foram convidados alguns conjuntos polônicos que mostraram a beleza e a riqueza da dança popular polonesa. Apresentaram-se os seguintes conjuntos: Jupem de Erechim, Polônia de Porto Alegre, Auresovia de Áurea, Kalina de Nova Prata e o grupo amador de canto polonês Pamiatki de Bento Gonçalves. Nas proximidades da cidade de Bento Gonçalves, uma região onde os descendentes dos imigrantes italianos cultivam a uva e se dedicam à produção do vinho, encontra-se a cidade de Garibaldi. Nos arredores dessa cidade, na “Rota dos Vinhedos”, situa-se um castelo que pelas suas características lembra a arquitetura medieval. Nesse prédio encontram-se lojas com diversos produtos da uva e suvenires. No segundo andar desse castelo, o líder polônico Mauro Noskowski (também envolvido no movimento da Braspol), instalou um hotel excepcional e de alto padrão. Nesse hotel há 11 apartamentos, que através da sua decoração característica aludem a diversas cidades  polonesas: Gdansk, Cracóvia, Lublin, Poznan, Rzeszów, Torun, Wadowice, Varsóvia, Zakopane e Zelazowa Wola. Cada apartamento constitui uma típica aula de história. Hospedar-se no luxuoso Hotel Zamek e degustar no seu restaurante pratos poloneses selecionados é uma experiência inesquecível! Especialmente para pessoas vindas da Polônia ou de alguma região do Brasil e possuidoras de origem polonesa.
  • 27 de janeiro – Em Curitiba realizaram-se as comemorações do 19º ano do surgimento do movimento polônico Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa no Brasil (Braspol), neste ano ligadas com a comemoração dos 140 anos da vinda do primeiro grupo de imigrantes poloneses ao Brasil.
  • 23 de janeiro – A Cônsul Geral da Polônia em Curitiba – Sra. Dorota Barys – recepcionou os membros da comissão examinadora encarregada da seleção de professores para o curso de língua polonesa na UFPR com um jantar num restaurante curitibano. O encontro serviu para uma troca de ideias a respeito das perspectivas científicas e polônicas relacionadas com a abertura do curso de língua e literatura nessa universidade paranaense.
  • 22-24 de janeiro – Na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, realizou-se o concurso para o cargo de professor de literatura polonesa nessa prestigiosa universidade. Para fazer parte da banca examinadora, foi convidado o redator de Projeções.
  • 17 de janeiro – Nesse dia ocorreu o 25º aniversário da morte do Padre Inácio Posadzy SChr – cofundador da Sociedade de Cristo para os Poloneses Emigrados. No dia 23 de novembro de 2008 o superior geral da Sociedade de Cristo, Pe. Tomás Sielicki SChr, proclamou o ano de 2009 como o Ano do Servo de Deus Inácio Posadzy. O Padre Inácio visitou três vezes os núcleos dos imigrantes poloneses no Brasil.
  • 12 de janeiro – Também em Curitiba, no mesmo espaço cultural, realizou-se um recital com a participação de dois músicos poloneses: Patrycja Piekutowska (violino) e Marian Sobula (piano).
  • 11 de janeiro – Em Curitiba, no centro de cultura “Capela Santa Maria Espaço Cultural”, realizou-se um recital do pianista polonês Marian Sobula.
  • 10 de janeiro – No programa “Meu Paraná” (transmitido ao meio-dia), a RPC – Rede Paranaense de Comunicação Curitiba – Canal 12 apresentou um material dedicado à imigração polonesa. No programa foram apresentadas imagens da Polônia e do Paraná, mostrando a vida, os costumes dos poloneses na Polônia e os costumes e as tradições dos descendentes dos nossos imigrantes que se preservaram no estado do Paraná, onde – em cmparação com outros estados brasileiros – é mais numeroso o grupo de pessoas de origem polonesa.
  • 4 de janeiro – Nessa data comemorou-se no Brasil a festa da Epifania do Senhor. Nas paróquias onde residem descendentes dos imigrantes poloneses, durante a missa dessa solenidade os padres benzem a água, o giz e o incenso. Após o término da Eucaristia, os fiéis levam para as suas casas esses objetos bentos. Percebemos em muitas paróquias que – pelo fato de os padres poloneses e polônicos explicarem o significado dessa tradição – a cada ano cresce o número dos fiéis que introduzem esse costume polonês de assinalar as portas das suas residências com o giz bento e de incensar as suas casas com o incenso bento.
Leave a comment